Simplesmente, ele...

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

O Ubuntu foi considerado um dos melhores produtos do ano pela PC WORLD americana por dois anos consecutivos. Por quê? Ele é totalmente gratuito, se instala facilmente e tem como foco o conforto do usuário. A nova versão (7.10) possui algumas novidades, e se destaca no quesito facilidade de uso, especialmente para os iniciantes no mundo dos sistemas operacionais de código aberto.

Além disso, oferece inúmeras ferramentas de médio/grande porte para administração, gerenciamento e diversas outras modalidades de controle para os mais variados segmentos. Possui também, facilidades no setor corporativo, para servers, webservers, print, storage, etc.

Não é por acaso, nem euforia. A cada dia, o Ubuntu conquista mais e mais adepto, seja em lares, empresas, ou móvel (notes e afins, vide parceria com a Dell).

Enfim...é mais que merecido. Não há mais espaço para intransigentes e fanáticos, muito menos para sistemas não modulares e não adaptáveis.

Resumindo, Ubuntu...simplesmente, ele.

(Planeta Ub-BR, me)

mail - parte 2, a vingança

sábado, 17 de novembro de 2007

De volta para novidades.
Não deu tempo nem de esquentar. O tal mail por aqui não conseguiu resistir a liberação de uns 2% a mais de ki. :p
Fiz uns testes na aula ontem e terminei por fazê-lo quando cheguei em casa, por volta de 1h da manhã. Zz__zZ O que importa é que consegui atingir o objetivo.

Vamos ao que eu fiz:


- Primeiramente, removi tudo o que pudesse estar lá:

apt-get remove exim4

dpkg -P exim4

Pra garantir:

apt-get remove postfix
dpkg -P postfix


Com tudo removido, hora de instalar do zero:


apt-get install postfix


Em seguida:


dpkg-reconfigure postix


A leitura das configurações é essencial, mas é tudo bem intuitivo.
Após finalizar o processo, o comando mail deverá funcionar corretamente. Por aqui, lembro que tive que instalar o mailx (não sei ao certo, mas acredito que seja alguma dependência ou mesmo seja o intermediário para o MTA, enfim).

O modus operandi é simples:
mail + endereço

assunto

conteúdo
(CRTL+D ou .(dot) para sair)
CC: (com cópia pra alguém) - opcional


Exemplo:
mail meuamigo@algumacoisa.com
Subject: Olá
Mensagem: Oi amigo, tudo bem ? Isso é apenas um teste. Até logo...
.
CC: outroamigo@outracoisa.com

Feito! Se tudo estiver certo, o e-Mail já foi enviado. Faça o teste enviando pra você mesmo. Por aqui, funcionou.
Depois, explico como enviar com anexo ou chamando um file externo. E também outros lances ainda mais interessantes. ^_^ Até a próxima... PS.: 1 x 1 =]

---

PS.: Esse post era pra ter sido publidado ontem, por volta das 14hs. A questão é que quando fui fazer um teste, o mail simplesmente parou de novo (acho que ele estava querendo virar o placar :p).
Bom, na verdade, fiquei um bom tempo tentando re-consertar e nada. Por ontem desisti (como diz a Elaine, com quem trabalho, amanhã é um novo dia).
Pois bem, acordei com novas idéias. Fui lá e resolvi. Testei várias vezes e agora ele não pára mais. :)
O erro era na conexão de rede. Num momento, estava setado a placa de rede, e funcionava. Mas mudando isso e aquilo, essa configuração deve ter se perdido. Resolvi setar o IP da minha rede interna e simplesmente funcionou. :)

Virei, de goleada!

Aproveitando, pra arquivo externo:

cat arquivo | mail -s "assunto" e-Mail

Até...

mail (enviar e-Mail via terminal) - parte 1

sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Estou passando por dificuldades com o tal mail.

Vi na aula e achei bem interessante. Realmente, eu não conhecia tal habilidade.
Tentei rodar o comando aqui e retornou o erro de não instalado. Pois bem, um apt-get install mailx resolveu.

Consegui mandar 2 e-Mails que chegaram ao destino. Depois tentei mudar o lance de domínio e nunca mais funcionou corretamente. Mudando isso e aquilo, consegui que ele retornasse com um erro. Mais algumas mudanças e aparentemente ele estava sendo enviado, mas pra lugar nenhum. Depois, descobri com o mailq que todos esses estavam numa espécie de fila (com status *** frozen ***).

Enfim, falei com o Gustavo e ele disse que prefere o postfix ou mesmo o sendmail para tal missão.

Removi o mailx e fui de postfix. Mais opções e nenhum chegou ao destino. =/

Acho que não vou me matar por enquanto, já que vamos ter aula de postfix na semana que vem.
Como fiquei intrigado com isso, vou voltar as atenções pra esse tema (mesmo que eu prefira o Qmail, que é a ferramenta que uso no dia-a-dia).

Por enquanto, 1 x 0 pra eles. :(

---

Nota: Obrigado à todos pela lembrança. Agora são 28 anos contrariando a estatística.
Um grande abraço!

gDesklets (monitor de sistemas)

quarta-feira, 14 de novembro de 2007











apt-get install gdesklets

ou

Adicionar\Remover Aplicações

Testei no Debian e os widgets não vieram por padrão. Provavelmente, deverá ser instalado à parte.

No Ub, isso não acontece. O mesmo vem com dezenas de opções para personalizar os seus monitoramentos. :)

Depois de instalado, basta ir em Aplicações\Acessórios\gDesklets, navegar pelas categorias e ir adicionando. No mais, é pura criatividade e individualismo (daquilo que é mais importante pra cada um).

Deixei algumas shots (Fonte) com bastante coisa na tela, pra exemplificar melhor.











Mais pra frente, eu comento sobre o Screenlets, que tecnicamente faz a mesma coisa, porém com um estilo mais minimalista.


Até a próxima!

VivoZap do Moto Q no Ubuntu

terça-feira, 13 de novembro de 2007



Minha mais nova aquisição na área de tecnologia é um Smartphone Motorola Moto Q. Tirando o fato dele vir com o Windows Mobile 5 e a bateria não durar praticamente um dia, o mesmo tem me proporcionado alguns momentos de entreterimento, principalmente pois junto com ele assinei o VivoZap para que eu pudesse estar conectado aonde eu estivesse, em qualquer hora do dia. E uma das maiores vantagens desse plano é que eu posso usar o aparelho como um modem para navegar pelo PC através da sua conexão, e enquanto ele está conectado ao PC, ao mesmo tempo está carregando. Isso significa que numa viagem, por exemplo, de posse de um Notebook, até que a bateria do mesmo acabe você estará conectado, e depois de acabar ainda tem o celular carregado para usar.

Bem, terminada a apresentação da minha empolgação, vamos ao procedimento de como conectar através do Ubuntu. Testei no 7.04 e no 7.10 (o 7.10 possui um bug no discador mas conecta mesmo assim).

  • No aparelho, ative o "link de modem", que fica em Iniciar\Acessórios\Link de modem. Após isso, conecte o aparelho no PC através do cabo USB. O Ubuntu automaticamente criará o módulo
  • No campo "Nome de Usuário", digite o DDD de sua cidade e o número do seu celular, seguido de @vivozap.com.br. Em "Senha" digite "vivo" (sem aspas) e no Número de telefone, digite #777. Depois clique em Configuração.
  • Na guia Modem, digite /dev/ttyACM0 em "Dispositivo". Depois clique na guia Opções.


  • Marque todas as opções menos as "verificar".

  • Feche, clique em conectar e curta a Internet banda larga da Vivo, que dependendo do sinal pode chegar a 2 MB.

Se não gostar do gnome-ppp ou ficar irritado com o bug do Gutsy, abra o Synaptic e instale o kppp. Como prefiro o gnome-ppp, abordei aqui somente a maneira de configurá-lo. Segue um link de como configurar o kppp:
http://mult.isx.com.br/2006/11/16/vivo-zap-no-linux/

É isso aí, galera, e viva o linux!

NTFS (suporte nativo)

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

Olá. ;-)

Provavelmente isso já foi dito pela net afora, mas quando descobri, resolvi postar. Na verdade, esse post estava previsto pra bem antes, mas o tempo anda bem escasso.

De qualquer maneira, o que eu queria dizer é que o suporte a NTFS agora vem "de fábrica". Nas versões anteriores, isso era possível mediante o uso de alguns artifícios. Na atual, não é necessário nenhum movimento para tal.

Descobri meio sem querer, já que utilizo muito mais a partição FAT32. Mas numa dessas movimentações de arquivos, acabei recortando algo da partição NTFS e percebi que não apresentou nenhum erro. Após alguns testes, vi que era isso mesmo. O suporte à escrita e leitura em partições NTFS agora funciona nativamente.

Talvez agora o desafio seja o mesmo para o futuro sistema de arquivos "WinFS" (se é que ele vai existir mesmo).

Um grande abraço à todos...

--

Recomendo à todos um Blog da INFO, que está começando, mas promete ser de grande nível:
http://info.abril.com.br/blog/luizcruz/

Driver ATI agora suporta Aiglx

sexta-feira, 2 de novembro de 2007

Até poucos dias, os usuários de Linux que possuíam uma placa de vídeo ATI, deveriam instalar o XGL para poder rodar os efeitos 3D do Beryl/Compiz. O XGL, além de exigir mais da máquina do que o Aiglx, o que diminuía o rendimento, ainda desativava o rendering, que fazia com que certos programas, como o Google Earth, não funcionassem quando o Compiz estivesse ativo. Isso agora mudou com o lançamento do novo driver ATI para Linux, com suporte a várias distribuições, incluindo, é claro, nosso querido Ubuntu.
Para baixar o driver é só clicar no link:
http://www2.ati.com/drivers/linux/ati-driver-installer-8.42.3-x86.x86_64.run

Antes de instalar o driver, porém, instale algumas dependências. Abra o terminal e digite:

sudo apt-get install module-assistant build-essential fakeroot dh-make debhelper debconf libstdc++5 linux-headers-generic-$(uname-r)
Depois navegue até a pasta onde foi salvo e digitar o comando:

sudo ./ati-driver-installer-8.42.3-x86.x86_64.run --buildpkg Ubuntu/*
Troque o * pela versão do Ubuntu que está usando (gutsy, feisty, dapper, etc, ou 7.10, 7.04, 6.10, etc). Para uma lista completa, digite o comando
./ati-driver-installer-8.42.3-x86.x86_64.run --listpkg
Digite "ls" e verá que foram gerados 4 pacotes .deb. Instale-os manualmente ou pelo comando "sudo dpkg -i (pacote)". Feito isso, digite no terminal:

sudo module-assistant prepare
sudo module-assistant update
sudo module-assistant build fglrx
sudo module-assistant install fglrx
sudo depmod -a
Depois, digite isso:

sudo mkdir /lib/modules/$(uname -r)/volatile
sudo ln -sf /lib/modules/$(uname -r)/misc/fglrx.ko /lib/modules/$(uname -r)/volatile/fglrx.ko

sudo aticonfig --initial - f

Por fim reinicie a máquia. Depois de reiniciar, digite no terminal

fglrxinfo

Que deve retornar:
display: :0.0 screen: 0
OpenGL vendor string: ATI Technologies Inc.
OpenGL renderer string: ATI Radeon Xpress Series
OpenGL version string: 2.0.6958 Release

Depois digite:

glxinfo | grep rendering

Que deve retornar:

direct rendering: Yes

Se aparecer isso, parabéns! Sua ATI esté instalada e agora pode usufluir dos recursos do Compiz sem precisar do XGL.

Para aqueles que tiverem algum problema ou quiserem instalar tudo isso de uma maneira mais fácil, sugiro a utilização do Envy, que faz esse processo automaticamente. Baixe-o aqui:

http://albertomilone.com/nvidia_scripts1.html


Depois de instalado, escolha a opção manual e instale o driver mais novo:



E ele se encarregará do resto.

Boa sorte a todos!


Fontes:

http://www.osnews.com/story.php/18814/AMD-8.42-Linux-Driver-Brings-Fixes-Aiglx
http://www.phoronix.com/scan.php?page=article&item=887&num=1
http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=463106&tid=2562606434184993700